30/06/2013

Não é minha, mas é poesia

Olá aculturados!

No post passado eu disse que estava cheia de idéias para posts bem legais para o nosso blog. Esta é mais uma novidade do Eu e Minha Cultura.


O título da postagem já é auto-explicativo: "Não é minha, mas é poesia". O novo marcador do blog terá postagens relacionadas a poesias, que é outra paixão minha.


Os poemas divulgados não são de minha autoria, mas é poesia e merece ser apresentada e divulgada para que outras pessoas sintam sua alma tocada por este gênero mágico que é a poesia.


Não serão apenas poesias que irei postar aqui. Publicarei curiosidades sobre o gênero e muito mais!


Houve um tempo em que eu tentei me aventurar neste ramo, mas os únicos resultado foram textos desalinhados (risos) não consigo seguir os padrões da escrita poética.


Nada melhor para um primeiro post do que um poema explicando o poema. Confusos? Então leiam e entendam.

Procura de poesia (Fragmento)


Penetra surdamente no reino das palavras.

Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, Mas não há desespero,
Há calma e frescura na superfície intacta.
Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário.
Convive com teus poemas, antes de escrevê-los.
Tem paciência, se obscuros. Calma, se te provocam.
Espera que cada um se realize e consome
Com teu poder de palavra
E seu poder de silêncio.
Não forces o poema a desprender-se do limbo,
Não colhas do chão o poema que se perdeu,
Não adules o poema. Aceita-o.
Como ele aceitará sua forma definitiva e concentrada
No espaço.

(Carlos Drummond de Andrade)



Quero saber o que vocês acharam do poema. Tem algum poeta aí? Vocês gostaram do novo marcador do blog? Comentem é importante para eu ouvir suas opiniões. É sempre bom trocar conhecimentos e idéias.


Três beijos e xalzinho. Vou dormir. As 02h03min escrevendo este post para vocês (risos)!


(Tag) Sete coisas sobre mim





Olá, meus amados aculturados!

Recebi esta tag do blog Marca Provisória da lindíssima Thamires Rodrigues. Thami obrigada por ter se lembrado da blogueira aqui e por ter contribuído para a primeira tag do Eu e Minha Cultura. Desculpe-me pela demora em responder a sua tag e nunca mais ter visitado o Marca Provisória. Minha vida estava uma correria era prova em cima de prova e trabalhos. Essas explicações servem, também, para todos os aculturados.


Esta tag consiste em falar 7 coisinhas sobre mim minha vida é bem chatinha e monótona, mas vou tentar falar coisas interessantes sobre mim (risos)



As regras são:

*Agradecer a quem te indicou
*Escrever sete coisas sobre você
*Taguear até 15 blogs com menos de 200 seguidores


Sobre mim:

1- Tenho pânico do escuro

2- Estou escrevendo um livro na verdade é uma série
3- Me irrito quando me chamam de nerd não sou nerd
4- Ninguém sabe falar se sou engraçada ou séria garota bipolar
5- Não consigo ler dois livros ao mesmo tempo ódio! Preciso de duas vidas para ler tudo o que eu quero
6- Curto animes fica meio que em off esta minha paixão
7- Gosto de locais silenciosos é nestes lugares que tenho as melhores inspirações

Blogs indicados:


Uma garota citou 


Um sofá a lareira  


Universo Atakima  


Entre Vírgulas


Lendo com Capitu 

hope fully 

(Os blogs Universo Atakima   e um sofá a lareira pertencem a mesma blogueira, portanto fica a critério da própria se responde à tag duas vezes.  )

Acho que é isto. Por hora é só!





28/06/2013

Só explicando (Parte 2) e um mês do Eu e Minha Cultura

Olá meus queridos aculturados!

Estava há duas semanas sem postar nada. Mas para quem leu esta postagem entendeu meus motivos.


Foi muito desanimador quando eu vi que todos os meus Gadgets foram perdidos, incluindo minhas enquetes, que foi um erro irreparável, o restante eu ainda pude salvar.


Esta minha perda me deixou em uma fase de puro desânimo. Mesmo que eu estivesse cheia de ideias interessantes, quando eu via aquela bagunça que o meu blog ficou tudo se perdia.


Outro motivo desta falta de postagens foi o tempo. Provas, trabalhos tudo isto contribuiu para minha ausência na blogosfera. Desculpas aos meus parceiros pelo meu sumiço.

Bom mas agora eu estou de férias e o layout está arrumado. Dei um ar meio "natureza" para meu blog. Tentei deixá-lo agradável para visitas e nada mais agradável do que esta imagem de fundo.


Mudei várias vezes meu layout nestas duas semanas. Baixava vários templates da internet, tanto que meu notebook contraiu um vírus, sorte que deu para reparar tudo obrigada Avast, mas, quando eu os aplicava ao blog, os comentários de resposta sumiam. Se alguém sabe consertar isto ou sabe me explicar a razão para tal problema é só deixar nos comentários que eu ficarei bastante feliz. Deixe nos comentários, também, o que você achou do novo visual do blog. Mas, por favor, não se sintam intimidados, aceito, também, críticas construtivas.


Este período de mudanças e desastre teve seu lado bom. Aprendi várias coisas sobre blogs e inclusive o principal: Sempre salvar uma cópia do meu blog (risos)


Dê sua opinião eu amarei lê-la e respondê-la nunca eu ia ficar sem a opção de respostas dos comentários!


Mudando um pouco de assunto. O Eu e Minha Cultura fez um mês no dia 27/06/2013 sim, ontem e eu gostei desta minha experiência de ser blogueira por um mês. Fiquei bastante feliz, também, com as duas parcerias que o blog conseguiu neste curto período: Marca Provisória e Um sofá a lareira. E se você blogueiro ou blogueira quer ter seu blog como parceiro do Eu e Minha Cultura é só enviar um email para karinaerikads@hotmail.com ou então pode deixe seu pedido nos comentários deste post. Avaliarei sua proposta o quanto antes.


Beijos e obrigada às pessoas que acessaram, estão seguindo e que me deram ânimo para prosseguir com o blog. Agradeço a todos os comentários deste post que me fizeram prosseguir com o Eu e Minha Cultura.


Dados deste primeiro mês:

801 visualizações do blog

14 seguidores pelo GFC
22 postagens

Agradeço a todos!


PS: Muita coisa nova virá por aí, fiquem coladinho no Eu e Minha Cultura que daqui a alguns dias teremos posts e colunas novas.

Ps²: Eu e Minha Cultura ganhará uma página no facebook!


13/06/2013

Só explicando rs

Meus queridos leitores, a maluca aqui foi inventar de mudar o template do blog e "esqueceu" de salvar os Gadgets, ou seja, todas as enquetes foram perdidas e terei que refazê-las.

Muita coisa ainda vai mudar por aqui, estou tentando arrumar um template que, primeiramente agrade vocês e depois a blogueira aqui é a primeira vez que me chamo de blogueira


Quando o blog estiver com um layout definido avisarei, mas, por enquanto, é provisório o que veem.


Obrigada pela compreensão e perdoe-me pela poluição visual.


PS: Mas não esqueça você visitante de seguir o blog pelo GFC, é só clicar na barrinha aí do lado onde está escrito "participar deste site" você estará me ajudando demais na parte de incentivo.

08/06/2013

Resenha/dissertação - Política nacional de atenção à saúde dos povos indígenas

  
                           



É do saber de todos que os primeiros habitantes do Brasil são os índios. Com a Colonização a população indígena foi dizimada caindo para menos da metade. Doenças infecciosas trazidas pelos portugueses, a escravidão, maus tratos são alguns dos fatores que contribuíram para esta calamidade.

Desde o início, os índios sempre foram vistos como a parte de um todo, não tendo suas diferenças aceitas e reconhecidas. Vê-se a necessidade de uma política indigenista de atenção voltada para a saúde que não obedeça mais a esta diretriz. Ao longo dos anos algumas políticas foram criadas, mas todas as iniciativas ignoravam as especificidades étnicas e culturais relacionadas ao adoecer das populações indígenas.

  
No dia 31 de janeiro de 2012 é aprovada a Política Indigenista de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas. O diferencial desta política é que em todo seu processo de formulação, implantação, avaliação e aperfeiçoamento contaram com a participação de representantes das organizações indígenas.

A formação e a capacitação de indígenas como agentes de saúde é uma estratégia que visa favorecer a apropriação pelos povos indígenas de conhecimentos e recursos técnicos da medicina ocidental, não de modo a substituir, mas de somar ao acervo de terapias e outras práticas culturais próprias.


Essa política parece não ser falha, mas, para mim, muitas das diretrizes nela contida servirão para a descaracterizarão cultural. Por trás desta história de "somar" saberes está a "morte lenta" e inevitável dos povos indígenas como grupos culturais com identidade própria.


Os indígenas estão condenados pelo seu encontro com o caráter homogêneo da nossa sociedade que tudo abocanha para sua monotonia. Seu estado de "primitividade", se assim posso dizer, ajuda com que o governo através deste tipo de "ajuda" os tirem de sua essência.


Se você for ler esta política por completo, como eu li, perceberá que os termos "ensinar" e "aprender" são constantemente citados, não que os índios não aprendem nada, mas eles estão aprendendo o que não é necessário: como ser um membro da nossa sociedade. Os povos indígenas estão caminhando para desfazer-se no espaço homogêneo da nacionalidade. 


Referências:

Política Nacional de Atenção à Aaúde Indígena


Uma monografia de Maria Célia Pinheiro Machado Paoli com tema: "O sentido histórico da noção da cidadania no Brasil: onde ficam os índios?"


Duas visitinhas à Biblioteca Pública Benedito Leite




                            




Primeiramente, falarei deste novo marcador aqui do blog. Não sou uma pessoa que sai muito. Sou introvertida. Mas, no dia 04/06/2013, eu fiz uma visita à Biblioteca Pública Benedito Leite e quero relatá-la aqui para você, aculturado. (Este não é um daqueles blogs/diários, longe disso). Dito isso, não esperem muitas atualizações deste novo marcador (risos).

A Biblioteca Pública Benedito Leite (BPBL) é considerada, por alguns estudiosos, a segunda biblioteca mais antiga do Brasil. O prédio atual da BPBL foi construído em estilo neoclássico durante os anos de 1950 a 1951. Recentemente foi reformada e agora conta com aparelhagem moderna, que visa o melhor funcionamento tanto para leitores, como para funcionários. A BPBL é primeira biblioteca com um espaço voltado para bebês (saiba mais aqui). Em setembro de 2009 foi fechada ameaçando desabar em cima dos leitores e no dia 8 de maio de 2013 ela foi reaberta. Foram gastos sete milhões de reais para que, além das obras físicas, seu acervo fosse ampliado e atualizado.

Algumas semanas após a reabertura, eu e um grupo de amigos resolvemos visitar a biblioteca. Mas isto não ocorreu como o esperado. Não passamos da recepção. A recepcionista nos fala que para fazer uma visita é necessário agendar com dias de antecedência. Só poderiam entrar quem fosse fazer uma pesquisa ou tivesse a carteirinha.

Neste dia, havia levado todos os meus documentos certo, faltou só um para tirar minha carteirinha, que permitiria que eu pegasse livros emprestados. Pergunto sobre tal e a resposta me deixa boquiaberta: "É necessário a carteira de identidade, CPF, comprovante de residência, foto 3X4 e o valor de 5,00 R$.

Engraçado... Eu me lembro de ter visto na entrada: "BIBLIOTECA PÚBLICA BENEDITO LEITE". Tudo bem que 5,00 R$ não é um valor tão alto, mas eu pensava que a biblioteca era pública. Imagine o quanto eles arrecadam!

Na minha segunda visitinha eu fui preparada para o "assalto" (risos) e consegui tirar minha carteirinha sem problemas. O processo foi até bem fácil e sem demora.

Mas a bomba vem na hora de pegar um livro emprestado: "Você não pode entrar e escolher o livro". Morri! O processo de pegar um livro emprestado é este: Fala o título da obra para a atendente/bibliotecária super desinformada do meio literário  e só então ela verá se o livro consta no acervo e está disponível. A minha próxima pergunta é bem óbvia: "Qual o site onde podemos ver as obras disponíveis para empréstimo?". A resposta: "Não existe site algum". Morri de novo. Imaginem minha decepção!

Este site aqui disponibiliza ebooks dos livros bem antigos muito antigo mesmo, estão até com as folhas quebrando. A mais antiga obra é de um autor português, Dom Francisco Manuel, que se intitula "Alterações de Évora". Sim, aculturados, ebooks de graça!

Não posso me reclamar do atendimento, exceto pela falta de informação das bibliotecárias/atendentes. Quando eu pedi um livro com poemas de Vinícius de Morais (Veja o resto da história do empréstimo deste livro e a resenha aqui) e o livro "Crepúsculo" (o da Stephenie Meyer) e elas nem sabiam de quem ou o que eu estava falando, percebi que aquela atendente não deveria estar ali.


Nestas minhas visitinhas a BPBL eu não fui à sala de leitura, portanto não posso avaliá-la.

Agora segue as fotos dos livros que peguei emprestado:

Os lusíadas - Luís de Camões



                     

Perdoem-me pela poluição visual (risos). O livro está bem velhinho e todo remendado. Em breve tem resenha.

A moreninha - Joaquim Manuel de Macedo



Se aquele é velho demais, este é novinho demais. Já estou lendo. Daqui a pouco tem resenha.

Palavra de Poeta - Henriqueta Lisboa, José Paulo Paes, Mário Quintana e Vinícius de Morais

                 

         Veja a história do empréstimo (também problemático) e a resenha aqui.

Estou escrevendo este post não para incentivar os leitores maranhenses a não ir a BPBL, mas somente para compartilhar com vocês a minha frustração com este monumento histórico.

Fontes de referências:

(Resenha) Palavra de poeta – Henriqueta Lisboa, José Paulo Paes, Mário Quintana, Vinicius de Moraes.


                           


Fui à Biblioteca Pública Benedito Leite e quando fui fazer meu primeiro empréstimo pedi um livro de poesia de Vinicius De morais. A bibliotecária me trouxe este, que, na realidade, não tem somente poesias dele. A primeira vista eu torci o nariz para o livro. Eu pedi um livro de poesia e não algumas páginas de poesia, no entanto, eu resolvi trazê-lo assim mesmo.
  
Quando peguei meu ônibus comecei a folhear "Os lusíadas". Li algumas páginas. Vejo este livro na minha bolsa e resolvo folhear, ainda decepcionada com o trabalho chulo da bibliotecária. Como o esperado li em algumas horas (Ou minutos?).



Eu li e não me arrependo, pois o livro serviu para eu conhecer um pouco do trabalho destes quatro grandes autores: Henriqueta Lisboa, José Paulo PaesMário QuintanaVinicius de Moraes.



Este livreto me incentivou a ler as obras de todos os autores dos poemas deste livro, e quando eu digo obra eu digo um livro com poesias somente de um ator e que tenha muitas páginas. O livro também traz um pouco da biografia de todos os quatro grandes poetas.

Olhem este poema incrível:


Pescaria


Um homem
Que se preocupava demais
Com coisas sem importância
Acabou ficando com a cabeça cheia de minhocas.
Um amigo lhe deu então a ideia
De usar as minhocas
Numa pescaria
Para se distrair das preocupações.
O homem se distraiu tanto
Pescando
Que sua cabeça ficou leve
Como um balão
E foi subindo pelo ar 
Até sumir nas nuvens.
Onde será que foi parar?
Não sei
Nem quero me preocupar com isso.
Vou mais a pescar.

Veja algumas obras destes autores que pretendo ler em breve:


Enternecimento, 1929 (Henriqueta Lisboa)

Olha o bicho, 1984 (José Paulo Paes)
Apontamentos de História Sobrenatural, 1976 (Mário Quintana)
Antologia poética, 1960 (Vinícius de Morais)
Livro de sonetos, 1957 (Vinicius de Morais)
Correspondência Mário de Andrade & Henriqueta Lisboa (Mário de Andrade e Henriqueta Lisboa)

Eu aprendi (com os poemas em geral)

Que simples palavras podem nos fazer repensar uma vida toda.

Personagem marcante

Todos os quatro poetas.


Gosta de livros de poema? Veja aqui a resenha de "Os Estranhos Poemas Perdidos do Senhor Rumpel", também um livro de poemas, só que poemas diferentes.




Veja o relato da minha frustrante ida à biblioteca pública Benedito Leite aqui.

07/06/2013

(Resenha) Vida e paixão de Pandonar, o cruel – João Ubaldo Ribeiro

                                                    

O enredo:
Até que ponto vai a imaginação de uma criança? Até que ponto Pandonar é um herói imaginário? Foram estas duas perguntas que ficaram depois que conclui a leitura de Vida e paixão de Pandonar, o cruel.

Arrisco-me a dizer que criança não é criança se não houver imaginação. E imaginação não é o que falta para Geraldo, o protagonista. Até uma nova língua ele inventou: O Voldegrado.


As coisas começam a sair do eixo quando, depois de um "flerte", Geraldo cai de amores por Maria Helena. Até mesmo o próprio Voldegrado é deixado de lado, por uma ironia do destino ou não, na letra M de mogliesc, que significa "mulher". Será que Maria Helena corresponderia a todo este amor?

Geraldo pede conselhos amorosos para seu melhor amigo, Roquetão. Ele, então, começa a enviar cartinhas de amor para seu amoris (Maria Helena).

  
Pandonar é um herói inventado por Geraldo. Lindo, sedutor, corajoso, tudo o que Geraldo queria ser, mas deixou tudo a cargo de Pandonar, o cruel.

Com todos os exageros da época (infância), Vida e paixão de Pandonar, o cruel é um livro pequeno, de leitura rápida (bem rápida) e que me conquistou por fazer voltar à infância com todos os "exageros" da época.

Eu aprendi:
Às vezes, o mundo da imaginação é melhor que esse, mas nem tudo pode ficar lá.

Personagem marcante:
O imaginado e aclamado Pandonar, o cruel.


(Eu não consigo entender minha paixão por livros infantis...) 

Adicione ao skoob aqui

47 páginas
Editora: Nova Fronteira
Autor: João Ubaldo Ribeiro
  

04/06/2013

(Resenha) A Breve Segunda Vida de Bree Tanner – Stephenie Meyer



     

O enredo: 
"Espero que acabe gostando de Bree tanto quanto eu, embora esse seja um desejo meio cruel. Você já sabe a história não acaba bem para ela". Stephenie meio que fez uma maldade com nós leitores ao fazer este livro cativante.

Quem poderia imaginar que aquela Bree pequenina e sedenta por sangue tivesse vivido uma paixão tão intensa por, um também recém-criado, Diego? Como explicar a forma com que os recém-criados foram induzidos a ir a uma batalha sangrenta com risco de serem queimados e decapitados? Como "Ela" (Victória) e o "papai" (Riley) tiveram êxito em controlar um exército de instáveis recém-criados? São estas e algumas outras indagações que ficaram desde Eclipse  e que a autora se preocupou em responder todas, para que não ficasse uma dúvida sequer. Meus aplausos à Stephenie!

Em alguns pontos da minha leitura acabei esquecendo o futuro trágico da pequena Bree e me apeguei demais a ela. A cada página ia me aproximando mais da morte de Bree. Confesso que tive muita raiva de Riley com suas mentiras e covardias e o mesmo falo de Victória e os Volturi.

Bree teve apenas três meses e alguns dias, muito conturbados, de sua segunda vida.

A Breve Segunda Vida de Bree Tanner é um ótimo livro. A leitura simplesmente flui e quando percebemos já está sendo narrada a morte da nossa pequenina.

Personagem marcante:
O silencioso e esperto Fred.

Eu aprendi:

A nunca seguir os ideais alheios cegamente, caso contrário, isto poderá me levar a fazer algo que não pertence a minha índole. 


Adicione ao Skoob aqui
Título: A Breve Segunda vida de Bree Tanner
Subtítulo: Uma História de Eclipse
Autora: Stephenie Meyer
191 páginas
Editora: Intrínseca
ISBN: 978-85-98078-80-9
Compre: Cultura | Amazon | Saraiva


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...